Surgimento dos Estilos

Cervejas

Os estudos sobre a história da cerveja mostram que sua classificação por estilos é algo recente. Se para alguns a estilização das cervejas é uma imposição mercadológica, para outros é uma forma de ampliar a cultura cervejeira. Deixadas as diferenças de lado, fato é que hoje as cervejas ganham popularidade graças à sua diversidade. É muito prático para os apreciadores identificar no rótulo o estilo e já ter uma ideia prévia do que esperar daquela cerveja. No entanto, vale lembrar que essa categorização não é exata, adaptando-se à personalidade de cada bebida.

Até a idade moderna a cerveja não tinha rótulo, não possuía marca registrada, mas tinha origem. Foi somente por volta da revolução industrial, quando a bebida se tornou um produto de larga escala, que ela deixou de ser regional e vinculada à sua região de origem. Isto é, os estilos de cerveja já existiam desde os primórdios de sua fabricação, porém estavam mais para características gustativas, sem o apelo da categorização mercadológica.

Foi somente no final dos anos 70 que se deu a escolha dos parâmetros para enquadramento da cerveja em estilos. O personagem por trás desse feito foi o jornalista inglês Michael Jackson, que, em sua obra mais importante, The World Guide to Beer, propôs a classificação pela primeira vez. Ele definiu como critérios para classificar a bebida características como tipo de fermentação, ingredientes, aparência, aroma, sabor, paladar, teor alcoólico, dentre outros. Apenas por curiosidade, outros fatos atribuídos a ele são o ressurgimento das cervejarias artesanais norte-americanas e a redescobertas das cervejas belgas no final da década de 70.

img1

Disponível em: https://goo.gl/27yrD6. Tradução nossa.

A popularização dos estilos veio entre 1979 e 1980, com o lançamento de um guia de cervejas pela Associação de Cervejeiros Artesanais dos Estados Unidos (Brewers Associations). Tal publicação era baseada na obra de Michael Jackson, e tinha por finalidade auxiliar o julgamento das cervejas em concursos profissionais. Esse guia ficou tão conhecido que passou a ser utilizado nos dois maiores concursos dos Estados Unidades (World Beer Awards e Great American Beer Festival), ganhando notoriedade ao redor do mundo.

Daí por diante a estilização tornou-se prática consolidada, uma vez que a cultura cervejeira nos Estados Unidos é muito. Hoje, o guia mais difundido entre a comunidade cervejeira brasileira é o BJCP (Beer Judge Certification Program), criando pela American Homebrewers Association (Associação Americana de Cervejeiros Caseiros). Esse guia foi criado a fim de qualificar juízes para concursos cervejeiros domésticos, no entanto também é largamente empregado na qualificação de juízes profissionais.

Enfim, o objetivo aqui não é apresentar os estilos de cervejas ou os guias de estilos, mas sim complementar a história da cerveja mostrando que tais classificações são tão antigas quanto as cervejas, sendo sua descrição algo recente que veio apenas contribuir para a popularização dessa bebida mágica.

img2

Disponível em: https://goo.gl/NYIqtu.

Compartilhe
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

Notícias

Escolas cervejeiras

Hoje, quando se pretende estudar sobre cervejas, logo se pensa em partir para conhecer os estilos. Porém, antes disso, é »

VEJA MAIS

Os ingredientes da cerveja I: a água e o malte

Hoje é muito fácil saber que uma cerveja é feita de quatro ingredientes básicos: água, malte, lúpulo e levedura. Porém, »

VEJA MAIS