Surgimento dos Estilos

Cervejas

Os estudos sobre a história da cerveja mostram que sua classificação por estilos é algo recente. Se para alguns a estilização das cervejas é uma imposição mercadológica, para outros é uma forma de ampliar a cultura cervejeira. Deixadas as diferenças de lado, fato é que hoje as cervejas ganham popularidade graças à sua diversidade. É muito prático para os apreciadores identificar no rótulo o estilo e já ter uma ideia prévia do que esperar daquela cerveja. No entanto, vale lembrar que essa categorização não é exata, adaptando-se à personalidade de cada bebida.

Até a idade moderna a cerveja não tinha rótulo, não possuía marca registrada, mas tinha origem. Foi somente por volta da revolução industrial, quando a bebida se tornou um produto de larga escala, que ela deixou de ser regional e vinculada à sua região de origem. Isto é, os estilos de cerveja já existiam desde os primórdios de sua fabricação, porém estavam mais para características gustativas, sem o apelo da categorização mercadológica.

Foi somente no final dos anos 70 que se deu a escolha dos parâmetros para enquadramento da cerveja em estilos. O personagem por trás desse feito foi o jornalista inglês Michael Jackson, que, em sua obra mais importante, The World Guide to Beer, propôs a classificação pela primeira vez. Ele definiu como critérios para classificar a bebida características como tipo de fermentação, ingredientes, aparência, aroma, sabor, paladar, teor alcoólico, dentre outros. Apenas por curiosidade, outros fatos atribuídos a ele são o ressurgimento das cervejarias artesanais norte-americanas e a redescobertas das cervejas belgas no final da década de 70.

img1

Disponível em: https://goo.gl/27yrD6. Tradução nossa.

A popularização dos estilos veio entre 1979 e 1980, com o lançamento de um guia de cervejas pela Associação de Cervejeiros Artesanais dos Estados Unidos (Brewers Associations). Tal publicação era baseada na obra de Michael Jackson, e tinha por finalidade auxiliar o julgamento das cervejas em concursos profissionais. Esse guia ficou tão conhecido que passou a ser utilizado nos dois maiores concursos dos Estados Unidades (World Beer Awards e Great American Beer Festival), ganhando notoriedade ao redor do mundo.

Daí por diante a estilização tornou-se prática consolidada, uma vez que a cultura cervejeira nos Estados Unidos é muito. Hoje, o guia mais difundido entre a comunidade cervejeira brasileira é o BJCP (Beer Judge Certification Program), criando pela American Homebrewers Association (Associação Americana de Cervejeiros Caseiros). Esse guia foi criado a fim de qualificar juízes para concursos cervejeiros domésticos, no entanto também é largamente empregado na qualificação de juízes profissionais.

Enfim, o objetivo aqui não é apresentar os estilos de cervejas ou os guias de estilos, mas sim complementar a história da cerveja mostrando que tais classificações são tão antigas quanto as cervejas, sendo sua descrição algo recente que veio apenas contribuir para a popularização dessa bebida mágica.

img2

Disponível em: https://goo.gl/NYIqtu.

Compartilhe
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someone

Notícias

Breve Histórico da Cerveja – Parte 2

Durante a idade média a produção de cerveja passa por um período obscuro, influenciado pela dominação romana. A cultura cervejeira »

VEJA MAIS

Os ingredientes da cerveja II: o lúpulo

Na produção de cerveja sempre foram usados temperos para dar sabor e minimizar o gosto azedo residual da fermentação do »

VEJA MAIS